Nesse final de semana assisti na Netflix ao filme “O Segredo – Ouse Sonhar”, baseado no livro “The Secret” que fala sobre o Pensamento Positivo e a Lei da Atração. Embora eu tenha gostado do livro e achado o filme interessante, creio mais na eficácia de um outro tipo de teoria que eu intitularia de Lei da Aproximação. Onde meu filme se chamaria: “O Segredo – Ouse Agir ou Arriscar”.

Apesar de compactuar com a ideia de que devemos ser otimistas, discordo da visão passiva do livro em que o pensamento positivo irá atrair o que desejamos. Na verdade, creio que todo resultado seja derivado de uma ação, logo, o efeito da positividade se dá, porque são as nossas crenças que geram nossos comportamentos. Nesse sentido, quando uma pessoa crê que pode ou que não pode realizar algo, em ambas opções ela está correta, pois quem acredita ser capaz corre atrás e quem se sente incapaz fica estagnado.

Por isso, enxergo a necessidade de pensarmos positivo, sem que, para isso, precisemos negar ou mascarar o que ocorre de negativo. Portanto, o meu proposito aqui, não é pormenorizar o problema, mas conseguir tirar dele uma lição. Pois acredito piamente que nada seja em vão, tudo tem uma razão. Se não for benção, será lição, uma vez que tudo faz parte da nossa evolução. A depender, claro, de como internalizamos cada situação. Já que, uma mesma circunstância pode gerar diferentes aprendizados.

Assim ocorre, quando gêmeos vindos de uma mesma criação, formam personalidades e seguem caminhos completamente diferentes. Como no caso de irmãos filhos de um pai alcoólatra, em que, um torna-se igualmente viciado e justifica seu comportamento pela permissividade e o mal exemplo do pai. Enquanto o outro nunca bebeu na vida, pelo mesmo motivo, as atrocidades acometidas por seu pai quando se embriagava. Ou seja, a cultura familiar influencia fortemente, mas não é fator 100% determinante.

Voltando ao filme, um romance que traz muitas mensagens positivas e reflexivas, apesar de defender a Lei de Atração, em que os nossos pensamentos atraem os nossos desejos, o seu desfecho se dá pela ação, quando os protagonistas decidem ir de encontro ao que realmente “esperam”. Porém, não me refiro a esperam de esperar, mas de esperançar as possibilidades criadas pelo nosso caminhar. Afinal, acredito que quem espera, “nunca” alcança, ou pelo menos recebe atrasado, já que a vida favorece a quem está em movimento e se aproxima dos seus sonhos. Por isso, defendo a Lei de Aproximação, uma lei bíblica que diz: “Se a montanha não for a Maomé, Maomé vai até a montanha”.

Posto isto, não quero enfraquecer a sua fé, mas até a palavra oração traz a junção de orar mais agir (ora+ação). Logo, se você ainda está à espera de um milagre, saiba que está atrasado(a), porque essa benção já nos foi concedida com o milagre da vida, em que todo dia temos mais uma oportunidade para transformarmos a nossa realidade. Nesse interim, devemos fazer a nossa parte e o que estiver fora do nosso alcance, entregar nas mãos de Deus, ou como é citado no filme: “Crer que as coincidências sejam apenas a forma de Deus agir no anonimato”.

Enfim, a vida é cíclica e nos ensina que tudo passa. Diante dessa realidade, caso você esteja a enfrentar uma má fase, se acalme, porque vai passar. Da mesma forma, se estiver passando por uma boa fase, aproveite bem, pois vai passar também. Afinal, não há mal ou bem que perdure para sempre. Porém, lembre-se que existem duas formas de ver e deixar a vida passar, sendo uma ativa e a outra passiva. Cabendo a você decidir se vai (Esperar ou Agir), (Pedir ou Realizar), (Atrair ou se Aproximar).

Em outras palavras: Não ESPERE por dias melhores, TRANSFORME seus dias ruins.

PS 1: Caso não queira perder meus textos, cadastre seu e-mail no link a seguir: http://eepurl.com/cbLNpT

 

Márcio Vaz
Palestrante, Psicólogo e Escritor
www.marciovaz.net

 

Compartilhe: