Muitas pessoas desistem dos seus sonhos porque um dia se iludiram que seria fácil conquistá-los. Foram desiludidas não pela realidade, mas sim, por suas falsas expectativas. Sonharam com a carreira meteórica, o sucesso imediato, o príncipe ou a princesa encantada, porém, caíram do cavalo, quando descobriram que, na maioria das vezes, a fábula era invertida, pois começaram a beijar o príncipe que com o tempo se tornou sapo (Vice-versa).

Não quero dizer aqui, que devemos parar de sonhar ou sonhar pequeno, pelo contrário, pois como bem disse Jorge Paulo Lemann: “Sonhar grande ou sonhar pequeno dá o mesmo trabalho”. Logo, podemos sonhar grande, mas devemos iniciar com pequenos passos e valorizar cada pequena conquista, porque a vida não é uma corrida de 100 metros para que o resultado seja imediato, e sim uma maratona que requer paciência, determinação, preparação e persistência até ter seu percurso concluído.

Eu a exemplo, sonho com o TOPO da montanha. Porém, se no decorrer da minha existência, eu só chegar no meio, em vez de olhar para cima e reclamar por não ter alcançado o cume, vou olhar para baixo e agradecer pelo tanto que caminhei. Até porque, o risco de sonhar pequeno é alcançar nosso objetivo e viver na mediocridade perdendo a oportunidade de ter ido mais longe. (Pensamento relativo e subjetivo)

Por isso, não se engane. Acredite, se a sua caminhada não está fácil, é porque você deve estar no caminho certo, uma vez que todo desconforto nos tira da nossa zona de conforto, da mesmice, prenunciando que vem algo novo. E esse novo sinaliza que você está em movimento, em busca dos seus sonhos, só ainda não compreendeu que, entre o plantar e colher, existe o regar e esperar. Nesse sentido, não acelere ou atropele os processos, pois pode vir a jogar tudo a perder.

Também não questione tanto ou se revolte com os porquês dos acontecimentos e das dificuldades, pois certas respostas só vêm com o tempo. Em certa fase da minha vida pós acidente, em que me tornei 100% dependente, eu também questionei o fato dos meus familiares terem adoecido, como se já não bastasse EU. Para mim, tornou-se o caos, depender, “sem ter” quem cuidasse de mim. Porém, só anos depois eu descobri, que por não ter quem cuidasse de mim, foi que eu me cuidei, por não ter quem me virasse na cama, foi que eu me virei.

Ou seja, às vezes precisamos saber tirar proveito de uma desgraça e não deixar-se ser vencido por ela, porque nada é em vão, ou é benção ou é lição, ocorrendo muitas vezes não para nos PARALISAR, mas sim, para nos IMPULSIONAR na vida, pois se meus pais fossem saudáveis, dificilmente você estaria lendo esse texto ou eu teria dado a volta por cima me tornando o provedor da família. Provavelmente eu permaneceria na cama sem acreditar e prover uma vida diferente. Desse modo, reflita se a sua tragédia ou má fase, na verdade, não está querendo lhe dizer ou convidar para algo maior.

Caso você discorde do meu pensamento, não há problema algum, só não RECLAME – porque não vai adiantar. Mesmo porque, se reclamar resolvesse, eu reclamaria todo dia até voltar a andar. Além disso, reflita novamente, que o prefixo RE corresponde a intensidade e repetição, ou seja, o ato de “REvisitar” significa (visitar 2 vezes), REprovar de ano (fazê-lo novamente), REpensar (pensar profundamente) etc. Logo, REclamar, é CLAMAR por algo intensamente, porém, como toda reclamação é sobre algo ruim, estaremos clamando e suplicando pela permanência ou agravamento de uma má fase e/ou dificuldade.

Entenda, ninguém disse que seria fácil ou imediato. Persista e faça acontecer porque a vida é muito CURTA para ser desperdiçada. Afinal, a moeda mais cara que temos no universo, é a do tempo, pois tem muita gente moribunda que pagaria uma verdadeira fortuna para ter a sua saúde e mais alguns dias de vida para poder curtir a família, uma viagem, uma boa comida ou uma infinidade de possibilidades que o dinheiro não compra, mas que nos são caras.

Enfim, seja grato todo dia, pois assim como tem gente reclamando porque acorda cedo, tem os que agradecem pelo simples fato de acordar. Uma dádiva que pertence a todos os que estão podendo ler este texto, pois enquanto há vida, existe esperança e a oportunidade de mudarmos a rota da nossa existência. Dando a ela sentido e significado para a construção de um legado.

Afinal, vivemos em um universo de possibilidades que, embora nem sempre seja fácil, são nas dificuldades que tiramos os melhores aprendizados. Acredito que um dia estaremos todos velhinhos e viveremos a contar histórias. A questão é: Qual história você quer contar sobre a sua vida?

Saiba que serão os maiores perrengues que teremos o maior orgulho de contar, porque tudo que passou, tornou-se superação uma vez que você continua vivo. Por isso, reescreva copiosamente e conscientemente a sua trajetória, pois segundo Santo Agostinho: O PASSADO é memória e o FUTURO inexistente, logo só nos resta o PRESENTE para fazermos história.

Não RECLAME ou DESISTA – viva o AGORA e faça a DIFERENÇA na sua VIDA. Creia que dias melhores virão, já que não há nenhum mal que perdure para sempre. Lembre-se que tudo é passageiro e, por vezes, não são as circunstancias que precisam mudar, mas sim, a nossa forma de agir e enxergar a vida. Desse modo, simplesmente prossiga… deixe que o tempo esclareça a questão dos porquês e do que há de SER.

Márcio Vaz
Palestrante, Psicólogo e Coach
www.marciovaz.net

PS 1:  Caso não queira perder meus textos, cadastre-se no link a seguir e receba-os no e-mail – http://eepurl.com/cbLNpT

#Empreendedorismo #Palestras #Psicologia #Coaching  #Comportamento #Gestão #Superação #Motivação #Autoconhecimento #MárcioVaz Autoestima

Compartilhe: