Livro “Minha Boca Meu Caminhar”

EU ME AMO

Meu nome é Márcio Vaz, nascido no dia 24 de março de 1976, na cidade de Fortaleza-Ceará. Atualmente encontro-me na condição de tetraplégico, com ausência total de movimentos nos braços e nas pernas. Esse livro é de minha autoria, trata-se de uma autobiografia que traz à tona minha trajetória de vida, desde o dia em que me acidentei 10 de outubro de 1998, até meados de 2012. O recurso que utilizo para escrever é uma adaptação que me permite digitar com a boca. A proposta dessa literatura é trazer um exemplo de superação de quem está construindo uma bela história de vitórias e conquistas, todas elas pautadas no esforço, na vontade e na determinação de quem se reconhece um ser de possibilidades.

 

 

Nem por um instante o leitor dessa obra irá se deparar com discursos sensacionalistas ou de caráter sensibilizador, pois quem aqui escreve é um autor com característica dinâmica, de bem com a vida e com o humor bem acima da média. Apesar dos apesares, não sou carecedor de pena, mas sim, de admiração, pois faço dos meus dias um exemplo de força e persistência. Preparem-se para uma leitura descontraída, onde com muito bom humor lhes trago lições sérias de vida. Desarmem-se e apreciem esse modelo de conduta absorvida, sem moderação, pois contagio os que por mim perpassam, vendendo não apenas teoria, mas minha verdade vivida.

Acredito muito no potencial humano, mesmo diante da suposta “incapacidade” e perante as adversidades. Creio em um ser de habilidades, força e capacidade que lhes são inatas e que lhes permitem a superação. Eu, como exemplo, não desisto nunca, adoro um bom desafio e quebrar as barreiras do intransponível como quesito de diferencial. Transcendo o que aparento e me valho pelo que represento. Minha conduta incita e a eloquência envolve. Meu exemplo fala por mim, mas mesmo assim minhas palavras ecoam na essência do ser, resgatando a autoestima por hora abandonada. Sou dinâmico, articulado, espontâneo e “SUPERMODESTO” (risos). Mas é essa minha autoestima, quem mais tem me favorecido.

Espero nessa obra poder surpreender além de fazer jus ao meu marketing pessoal. O egocentrismo (Eu Me Amo) faz parte de um modo de funcionar, que tem a intenção de desmistificar a visão do deficiente como pobre coitado a se melindrar. Quem se mostra pequeno recebe esmolas, quem se vende grande recebe propostas. Logo, pretendo mostrar que minha fala é condizente com a prática, que mudanças são possíveis, podendo assim resgatar a autoestima daqueles que se sentem deslocados e para baixo, além de potencializar o estimado. Se é presunção? Não sei! Porém, costumo apostar alto no que me disponibilizo a fazer. Essa proposta de escrita não é algo novo, mas veio tomar corpo no momento certo, quando já contava com certa bagagem adquirida após quase 14 anos de tetraplegia (2012).

Trago como objetivo ações de empreendedorismo, superação e entretenimento com humor. Porém, não sigo uma linha educacional ou mesmo de autoajuda, penso que, por muitas vezes até deseduca e “prejudica”, afinal, estou a falar da minha vida, um ser nada convencional ou conservador. Conto com o bom senso do leitor para filtrar o conteúdo a lhe favorecer. Logo, absorva mais os bons exemplos ao invés de se degenerar com os maus, pois esta escrita é de alguém com muitas qualidades, mas também cheio de defeitos.

Sejam bem vindos ao meu mundo, espero poder lhe entreter e se possível contribuir para a reconstituição e continuação do seu ser.